15.5 C
Cachoeira do Sul
31 de maio de 2020
Portal da Diocese de Cachoeira do Sul Rs

MISTAGOGIA

MISTAGOGIA

Mons. Elcy

Como definir mistagogia?

Dentre alguns entendimentos, escolho nominar a mistagogia como um “mergulho ou inserção no mistério ou mistérios” que vão além do conhecimento racional ou experimental. Ela está na esfera da fé e nela se abaliza.

O Plasma divino, chamado Amor, envolve toda a criação. Não é Deus que está na criação, mas a criação está mergulhada em Deus, na sua infinitude. As criaturas brotaram da fecundidade infinita e pelas criaturas deduzimos quão sublime é o Senhor.

A vocação, o chamado existencial, dos seres criados é a revelação sacramental, de modo limitado, da ilimitada capacidade divina. Aos seres humanos, em particular, compete, por dons e carismas, demonstrar as infinitas faces do Criador.

Os dons e carismas, as qualidades implantadas no âmago do ser humano, deverão ser espelhos refletores das infinitas qualidades divinas. A eficiência refletora depende do cultivo do amor. Este amor é o combustível que move o motor das ações reveladoras.

O Senhor quer ser conhecido e amado nos humanos que os redeiam, no lugar onde os colocou. Os talentos recebido deverão ser multiplicados, sob pena de cobrança rigorosa. As qualidades múltiplas confiadas a cada pessoa não foram confiadas para proveito pessoal, mas para a comunidade. Não se recebe o dom da cura para curar-se, mas para curar o semelhante; o dom do conselho é para consolar e não para consola-se!

Eu alimento na minha mente uma certeza: Deus é justo. Todas as Comunidades recebem todos os dons necessários para sua qualificação. Se alguma estiver manca, por falta de algum deles, é sinal que o talento foi escondido para uso indevido e particular. Quando alguém assim age, se torna usurpador do que era de todos e será responsabilizado pela incompetência da comunidade.

Dá para pensar e se posicionar?

Artigos relacionados