19.5 C
Cachoeira do Sul
13 de novembro de 2019
Portal da Diocese de Cachoeira do Sul Rs

Movimento CLJ

Visite   o CLJ  Clique 

O Curso de Liderança Juvenil Cristã (CLJ) é um movimento eclesial da Igreja Católica, constituído de jovens e adultos (leigos e clérigos) e que tem como objetivo ser um instrumento na evangelização das juventudes entre os 14 e 18 anos de idade, preparando-os para liderar na Igreja e na sociedade. Na paróquia onde está inserido, o CLJ acontece em quatro etapas: pré-CLJ, CLJ I, CLJ II, e CLJ III.

Fundado em 1974 pelo então padre Zeno Hastenteufel (atual Bispo da Diocese de Novo Hamburgo), o CLJ nasceu na Igreja São Pedro em Porto Alegre, a partir de um retiro preparado para os jovens crismandos. Com a bênção do então Arcebispo, o Cardeal Vicente Scherer, logo firmou-se como movimento Arquidiocesano, instalando-se em inúmeras paróquias. Hoje, está implantado em grande parte das dioceses do Rio Grande do Sul, proporcionando a muitos jovens, homens e mulheres, a experiência que se convencionou chamar de “encontro pessoal com Cristo”.

O sonho de implantar o Curso de Liderança Juvenil (CLJ), na Diocese de Cachoeira do Sul, começa em 2009 e mobilizou jovens, tios e padres que juntos com o Diácono Carlinhos participaram de reuniões, momentos e atividades onde puderam conhecer este movimento, para posteriormente implantá-lo na Paróquia São José. A paróquia madrinha dessa empreitada, foi a Paróquia Nossa Senhora dos Anjos, de Gravataí, quando então os jovens: Emilin Grings; Felipe Drews; Jéssica Pacheco Machado; Diuly Bittencourt; Leandro Gofas; Eduarda Silveira; Fabíola Pereira e Patrick Soares; acompanhados dos tios Carlinhos e Teresa, deram início a história do CLJ na diocese, vivenciando o 41º CLJ¹. Há quase 10 anos, o CLJ vem colocando em prática seu tripé (estudo, piedade e ação) através de reuniões, viagens, projetos, entre muitos outros, sempre cumprindo com sua bela missão de evangelizar. “O semeador saiu para semear” (Mt 13,3b) Ao chegar no seu décimo ano, o movimento já envolveu mais de 350 jovens que por um determinado tempo de suas vidas, participaram semanalmente de reuniões, projetos e ações, tornando-se jovens líderes cristãos e tendo como principal missão, evangelizar outros tornando-se jovens líderes cristãos e tendo como principal missão, evangelizar outros jovens.

Cabe lembrar também que a partir de Cachoeira do Sul, aconteceu a implantação do CLJ, nas paróquias: Santo Antônio, de Cerro Branco; Nossa Senhora da Assunção, de Caçapava do Sul; Santa Ana, de Santana da Boa Vista e Nossa Senhora da Assunção, de Piratini, pertencente à Arquidiocese de Pelotas. De uma forma geral, o CLJ busca, através de método próprio, “criar comunidades jovens decididas a serem sinal evangelizador, especialmente entre outros jovens. Sinal nas famílias, nas comunidades eclesiais mais diversificadas, nos ambientes onde os jovens vivem e convivem; sinal no meio do mundo.” É um movimento que, dentro desses objetivos, quer oferecer aos jovens cristãos as condições para a realização da sua vocação pessoal. Nas dioceses onde o CLJ está presente, já existem inúmeras vocações sacerdotais, religiosas e matrimoniais que surgiram e foram amparadas pelo movimento.

Para mais informações sobre o movimento procure os jovens, os tios ou seu referencial espiritual, na Paróquia São José Diácono Carlinhos (o tio Carlinhos) – Fone/watts: (51) 9 99785711.

O Curso de Liderança Juvenil Cristã (CLJ) é um movimento eclesial da Igreja Católica, constituído de jovens e adultos (leigos e clérigos) e que tem como objetivo ser um instrumento na evangelização das juventudes entre os 14 e 18 anos de idade, preparando-os para liderar na Igreja e na sociedade. Na paróquia onde está inserido, o CLJ acontece em quatro etapas: pré-CLJ, CLJ I, CLJ II, e CLJ III.

Fundado em 1974 pelo então padre Zeno Hastenteufel (atual Bispo da Diocese de Novo Hamburgo), o CLJ nasceu na Igreja São Pedro em Porto Alegre, a partir de um retiro preparado para os jovens crismandos. Com a bênção do então Arcebispo, o Cardeal Vicente Scherer, logo firmou-se como movimento Arquidiocesano, instalando-se em inúmeras paróquias. Hoje, está implantado em grande parte das dioceses do Rio Grande do Sul, proporcionando a muitos jovens, homens e mulheres, a experiência que se convencionou chamar de “encontro pessoal com Cristo”.

O sonho de implantar o Curso de Liderança Juvenil (CLJ), na Diocese de Cachoeira do Sul, começa em 2009 e mobilizou jovens, tios e padres que juntos com o Diácono Carlinhos participaram de reuniões, momentos e atividades onde puderam conhecer este movimento, para posteriormente implantá-lo na Paróquia São José. A paróquia madrinha dessa empreitada, foi a Paróquia Nossa Senhora dos Anjos, de Gravataí, quando então os jovens: Emilin Grings; Felipe Drews; Jéssica Pacheco Machado; Diuly Bittencourt; Leandro Gofas; Eduarda Silveira; Fabíola Pereira e Patrick Soares; acompanhados dos tios Carlinhos e Teresa, deram início a história do CLJ na diocese, vivenciando o 41º CLJ¹. Há quase 10 anos, o CLJ vem colocando em prática seu tripé (estudo, piedade e ação) através de reuniões, viagens, projetos, entre muitos outros, sempre cumprindo com sua bela missão de evangelizar. “O semeador saiu para semear” (Mt 13,3b) Ao chegar no seu décimo ano, o movimento já envolveu mais de 350 jovens que por um determinado tempo de suas vidas, participaram semanalmente de reuniões, projetos e ações, tornando-se jovens líderes cristãos e tendo como principal missão, evangelizar outros tornando-se jovens líderes cristãos e tendo como principal missão, evangelizar outros jovens.

Cabe lembrar também que a partir de Cachoeira do Sul, aconteceu a implantação do CLJ, nas paróquias: Santo Antônio, de Cerro Branco; Nossa Senhora da Assunção, de Caçapava do Sul; Santa Ana, de Santana da Boa Vista e Nossa Senhora da Assunção, de Piratini, pertencente à Arquidiocese de Pelotas. De uma forma geral, o CLJ busca, através de método próprio, “criar comunidades jovens decididas a serem sinal evangelizador, especialmente entre outros jovens. Sinal nas famílias, nas comunidades eclesiais mais diversificadas, nos ambientes onde os jovens vivem e convivem; sinal no meio do mundo.” É um movimento que, dentro desses objetivos, quer oferecer aos jovens cristãos as condições para a realização da sua vocação pessoal. Nas dioceses onde o CLJ está presente, já existem inúmeras vocações sacerdotais, religiosas e matrimoniais que surgiram e foram amparadas pelo movimento.

Para mais informações sobre o movimento procure os jovens, os tios ou seu referencial espiritual, na Paróquia São José Diácono Carlinhos (o tio Carlinhos) – Fone/watts: (51) 9 99785711.

O Curso de Liderança Juvenil Cristã (CLJ) é um movimento eclesial da Igreja Católica, constituído de jovens e adultos (leigos e clérigos) e que tem como objetivo ser um instrumento na evangelização das juventudes entre os 14 e 18 anos de idade, preparando-os para liderar na Igreja e na sociedade. Na paróquia onde está inserido, o CLJ acontece em quatro etapas: pré-CLJ, CLJ I, CLJ II, e CLJ III.

Fundado em 1974 pelo então padre Zeno Hastenteufel (atual Bispo da Diocese de Novo Hamburgo), o CLJ nasceu na Igreja São Pedro em Porto Alegre, a partir de um retiro preparado para os jovens crismandos. Com a bênção do então Arcebispo, o Cardeal Vicente Scherer, logo firmou-se como movimento Arquidiocesano, instalando-se em inúmeras paróquias. Hoje, está implantado em grande parte das dioceses do Rio Grande do Sul, proporcionando a muitos jovens, homens e mulheres, a experiência que se convencionou chamar de “encontro pessoal com Cristo”.

O sonho de implantar o Curso de Liderança Juvenil (CLJ), na Diocese de Cachoeira do Sul, começa em 2009 e mobilizou jovens, tios e padres que juntos com o Diácono Carlinhos participaram de reuniões, momentos e atividades onde puderam conhecer este movimento, para posteriormente implantá-lo na Paróquia São José. A paróquia madrinha dessa empreitada, foi a Paróquia Nossa Senhora dos Anjos, de Gravataí, quando então os jovens: Emilin Grings; Felipe Drews; Jéssica Pacheco Machado; Diuly Bittencourt; Leandro Gofas; Eduarda Silveira; Fabíola Pereira e Patrick Soares; acompanhados dos tios Carlinhos e Teresa, deram início a história do CLJ na diocese, vivenciando o 41º CLJ¹. Há quase 10 anos, o CLJ vem colocando em prática seu tripé (estudo, piedade e ação) através de reuniões, viagens, projetos, entre muitos outros, sempre cumprindo com sua bela missão de evangelizar. “O semeador saiu para semear” (Mt 13,3b) Ao chegar no seu décimo ano, o movimento já envolveu mais de 350 jovens que por um determinado tempo de suas vidas, participaram semanalmente de reuniões, projetos e ações, tornando-se jovens líderes cristãos e tendo como principal missão, evangelizar outros tornando-se jovens líderes cristãos e tendo como principal missão, evangelizar outros jovens.

Cabe lembrar também que a partir de Cachoeira do Sul, aconteceu a implantação do CLJ, nas paróquias: Santo Antônio, de Cerro Branco; Nossa Senhora da Assunção, de Caçapava do Sul; Santa Ana, de Santana da Boa Vista e Nossa Senhora da Assunção, de Piratini, pertencente à Arquidiocese de Pelotas. De uma forma geral, o CLJ busca, através de método próprio, “criar comunidades jovens decididas a serem sinal evangelizador, especialmente entre outros jovens. Sinal nas famílias, nas comunidades eclesiais mais diversificadas, nos ambientes onde os jovens vivem e convivem; sinal no meio do mundo.” É um movimento que, dentro desses objetivos, quer oferecer aos jovens cristãos as condições para a realização da sua vocação pessoal. Nas dioceses onde o CLJ está presente, já existem inúmeras vocações sacerdotais, religiosas e matrimoniais que surgiram e foram amparadas pelo movimento.

Para mais informações sobre o movimento procure os jovens, os tios ou seu referencial espiritual, na Paróquia São José Diácono Carlinhos (o tio Carlinhos) – Fone/watts: (51) 9 99785711.

Pote da Gentileza

Pote da Gentileza

     Na semana que passou (18), os jovens do Curso de Liderança Juvenil (PRÉ – CLJ), deram a largada para 10 (dez) “Potes da Gentileza”. São potes de vidro com alguns doces, uma frase da importância da “gentileza”, bem como, um telefone para contato (se possível), quando alguém tiver registrado um ato de gentileza… alguns dos potes, já foram entregues para saírem do RS (no caso SP, DF, RJ …)

    É muito difícil conviver com a falta de gentileza. Estudos comprovam que pessoas que praticam a gentileza aumentam o seu grau de felicidade. Isso porque a gentileza está ligada ao gene que libera a dopamina, neurotransmissor que proporciona bem-estar. Aqueles que ajudam os outros regularmente têm mais saúde mental e menos depressão.

     O CLJ é um curso de “liderança juvenil cristã” e para tanto, ao formarmos jovens gentis tentam se colocar no lugar do outro (empatia), são bons ouvintes e praticam a arte da paciência. Além disso são capazes de pedir desculpas, quando descobrem que erraram, são solidários e companheiros. Procuram analisar as situações e serem justos. São capazes de resolver muitos conflitos, somente com seu jeito de ser. É preciso praticar a gentileza com todos, sejam seus subalternos, familiares ou amigos próximos.

     Enfim, o Pote da Gentiliza visa materializar algo que deve ser diário em nossas ações, para que sejamos gentis com as pessoas e elas, provavelmente, serão gentis conosco também.

     Lembre-se do que disse Shakespeare: “Eu aprendi que ser gentil é mais importante do que estar certo.”.

     Shalom

E tuas mãos, quanto bem têm feito?

     No PRÉ-CLJ, desse final de semana, comentamos sobre o que nossas mãos têm feito? Meditamos no para que servem as mãos? Bom, as respostas foram as mais variadas: para pedir, prometer, chamar, conceder, ameaçar, suplicar, exigir, acariciar, recusar, interrogar, admirar, confessar, calcular, comandar, injuriar, incitar, teimar, encorajar, acusar, condenar, absolver, perdoar, desprezar, desafiar, aplaudir, reger, benzer, humilhar, reconciliar, exaltar, construir, trabalhar, escrever, falar…

Por isso ratifico a pergunta: e as tuas mãos quanto bem têm feito? 

***

Concurso de Fotografia “UM OLHAR SOBRE A FÉ”

     Destinado aos jovens do PRÉ-CLJ o concurso visa promover a valorização do território da Paróquia São José, ao mesmo tempo que se fomenta e reconhece a capacidade criativa de nossas juventudes. A ideia passa por desafiar aos novos integrantes do movimento, a captarem, através da fotografia a essência do território paroquial onde estão inseridos, motivando-os a terem um olhar mais crítico no que se refere ao nível cultural, patrimonial, iconográfico e paisagístico de nossa paróquia, que por sinal é riquíssimo.

     Eles foram divididos em 3 grupos de participantes e tinham o tempo de 30 minutos, para fotografarem o quê e quantas vezes quisessem, mas depois teriam 15 minutos, para escolher apenas uma foto. O juri foi popular, a partir das respectivas postagens, sendo contado os “likes” (curtidas) que eles obtinham em suas páginas sociais, num período de 24 horas.

     Se classificou em primeiro lugar a fotografia:

     Em segundo lugar:

Em terceiro lugar:

    Cada integrante do grupo classificado em primeiro lugar, ganha um livro de presente.

Oficina sobre missa e cantos litúrgicos

PRÉ-CLJ – 01.06.2019

Se conhecêssemos o valor do Santo Sacrifício da Missa que zelo não teríamos em assistir a ela.” (São João Vianney)

CIVILIZAÇÃO DO AMOR (Projeto e Missão)

É excelente vermos que o trabalho voltado para a evangelização da juventude, está perfeitamente alinhado com a proposta da igreja para a America Latina e o Caribe, bem como, principalmente, perfeitamente ajustado á Base Nacional Curricular Comum..

.

Artigos relacionados