25.1 C
Cachoeira do Sul
3 de março de 2024
Diocese de Cachoeira do Sul

O REPONTE

O REPONTE

Mons. Elcy

A

 tropa sagrada dos 365 dias adentrou, qual gado xucro,  na mangueira do ano que findou. O Patrão, instalado na porteira da querência, examinou e valorizou, com olho clínico, cada res que passou. Num relance técnico e preciso valorizou sua tropa, sinalizando as reses carentes de algum cuidado especial. E a porteira foi fechada como fechou-se a contagem dos dias do ano que findou.

Assim como uma tropa que passa e se encurrala no piquete da invernada, são os dias vividos a cada ano da existência. Foi para que entendêssemos em parte, que parcelamos o tempo em dias, meses e anos. Na realidade simplesmente contabilizamos rotações e transladações da terra em relação ao sol. Tanto quanto o patrão, empoleirado na porteira da mangueira, revisa o gado que passa, assim também nós analisamos cada dia vivido, ao findar de cada ano. A soma das avaliações determina a qualidade do ano que passou.

Encurralemos o ano 2023 na mangueira do passado e nos fixemos em 2024 que já desponta no horizonte.

A administração eficiente de uma fazenda de criação de gado requer planejamento, acompanhamento específico, avaliação contínua no processo administrativo.

A administração eficiente da vida humana, também necessita de planejamentos, objetivos, concretizações e avaliações capazes de determinar a qualidade da realização; necessita de correções de desvios, desperdícios e erros; necessita de feedback de propósitos claros nas metas propostas e nas capacidades do empreendimento. Enfim, a vida é complexa e não dá para improvisar, mas construir de pedra em pedra o edifício da personalidade. A vida não se conduz como uma tropa, mas é conduzida com a perenidade capaz de atualizar a imortalidade.

Artigos relacionados