26.5 C
Cachoeira do Sul
27 de outubro de 2021
Portal da Diocese de Cachoeira do Sul Rs

MALA DE GARUPA

MALA DE GARUPA

Mons.Elcy

Vou meditar, mais uma vez, na função da “Mala de Garupa”. Parece que não entenderam, ou mal entenderam, ou não quiseram entender: Talvez seja um problema cultural ou desconhecimento do que seja uma Mala de Garupa. Ela é tecida de pano forte, feita de duas bolsas, para se localizar de um e outro lado da garupa do cavalo ou no pescoço do carregador.

A mala de garupa era tão eficiente que iluminou uma ideia na sabedoria divina. O Senhor estava magoado com a humanidade porque lhe doara muitas graças, em forma de qualidades, para ajudar seus filhos. Doou, também poucas limitações para se completarem uns aos outros.

A bolsa da frente da sacola era cheia de virtudes, para que todos pudessem ver; e a bolsa de traz trazia umas poucas limitações e se localizava, nas costas, para ninguém ver.

Como não desistissem de apontar os defeitos e invejar as capacidades alheias, surgiu-lhe a ideia da Mala de Garupa. Assim, da sabedoria divina nasceu uma forma das pessoas verem o bem e não o mal.

Houve uma grande formatura para a imposição da nova farda que salvaria o povo das fofocas e críticas à vida alheia. Salvaria, mas não salvou. O diabo, porque ultracrítico, foi declarado revisor dos investidos, com a Mala de Garupa.

A assessoria divina colocava sobre cada pessoa humana, uma mala da justiça e a despedia, não sem antes passar pelo “capeta” confirmar. Como Deus mandara colocar na sacola, que ia a frente, muitíssimas qualidades e na de traz, algumas limitações, o “enrustido” as trocava de posição passando as virtudes para traz e escancarando os defeitos, na frente. Assim todos viam os defeitos e não visualizavam as virtudes!

Assim nasceu a fofoca, a maledicência dos que se negam procurar a legítima sacola portadora das virtudes!

Artigos relacionados