18.6 C
Cachoeira do Sul
4 de abril de 2020
Portal da Diocese de Cachoeira do Sul Rs

Orientações para Semana Santa e outras normas

DOM EDSON BATISTA DE MELLO

POR MERCÊ DE DEUS E DA SANTA SÊ APOSTÓLICA

BISPO DE CACHOEIRA DO SUL

 

 

ORIENTAÇÕES PASTORAIS PARA A SEMANA SANTA E

ORIENTAÇÕES ADMINISTRATIVAS E ECONÔMICAS PARA AS PARÓQUIAS DE NOSSA DIOCESE

 

Rev. Irmãos Presbíteros,

CONSIDERANDO as orientações das autoridades de saúde, municipal, estadual e federal que projetam que o pico do virús COVID-19, no Estado do Rio Grande do Sul, será entre os meses de abril e maio de 2020;

CONSIDERANDO a gravidade das notícias vindas de países como a Itália e Espanha onde a disseminação do vírus COVID-19 atingiu níveis preocupantes;

CONSIDERANDO a suspensão das atividades das Paróquias e Capelas de nossa Diocese e o fechamento das secretarias paroquiais, bem como a possibilidade de prorrogação destas medidas em razão da disseminação do COVID-19;

CONSIDERANDO o DECRETO de 19 de março de 2020 da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, com orientações para a programação da SEMANA SANTA;

 Resolvemos passar as seguintes ORIENTAÇÕES PASTORAIS sobre a programação da Semana Santa para o Povo de Deus e ORIENTAÇÕES ADMINISTRATIVAS e ECONÔMICAS para as Paróquias de nossa Diocese.

  1. DA SEMANA SANTA

 

1 – Domingo de Ramos: seja celebrado sem a presença de fiéis, em horário conveniente para o celebrante;

2 – Missa crismal: fica adiada, sem data agendada, para quando a epidemia estiver controlada;

3 – Tríduo Pascal: o Bispos e os padres celebrem os mistérios litúrgicos do Tríduo Pascal sem a presença de fiéis.  Assim também celebrará o Santo Padre o Papa Francisco. As celebrações serão realizadas em toda a Diocese no mesmo horário para que os fiéis possam se unir em oração nas respectivas residências. Igualmente será útil a transmissão das celebrações, onde for possível e conveniente, por meio das redes sociais;

4 – Quinta-Feira Santa – 19h.:  a título excepcional a todos os sacerdotes é concedida a faculdade de celebrar neste dia, em lugar adequado, a Missa sem o povo. O lava-pés, já facultativo, omite-se. Ao final da Missa na Ceia do Senhor omite-se a procissão e o Santíssimo Sacramento guarda-se no Sacrário;

5 – Sexta-Feira Santa – 15h.: seja celebrada a Paixão do Senhor sem o povo. Na oração universal, procure-se fazer uma intenção especial pelos doentes, pelos defuntos e pelos que sofreram alguma perda;

6 – Vigília Pascal – 19h.: os presbíteros celebrem sem o povo. Para o início da Vigília omite-se a bênção do fogo, prepara-se e acende-se o círio e, omitindo a procissão, segue-se o Precônio pascal (Exsultet). Segue-se a Liturgia da Palavra. Para a Liturgia batismal, apenas se renovam as promessas batismais.  Segue-se a Liturgia eucarística.

7 – Missa de Páscoa: seja celebrado sem a presença de fiéis, em horário conveniente para o celebrante.

  1. DAS ORIENTAÇÕES ADMINISTRATIVAS E ECONÔMICAS PARA AS PARÓQUIAS DE NOSSA DIOCESE

Sabemos que, diante da suspensão das atividades das Paróquias e Capelas de nossa Diocese e do fechamento das secretarias paroquiais, haverá a diminuição significativa do pagamento Dízimo por parte do Povo de Deus.

Da mesma forma, haverá a impossibilidade, a curto prazo, de se realizar promoções e eventos para a manutenção dos templos.

Contudo, a dificuldade financeira não é apenas uma realidade que atinge somente a Igreja. Todos os setores da sociedade são atingidos, principalmente, os autônomos e prestadores de serviços que dependem de seus esforços para a sua manutenção e a de sua família.

Soma-se, ainda, a grave estiagem que  castiga lavouras e rebanhos e que, por consequência, causa grandes prejuízos ao Povo de Deus que depende da terra para a sua sobrevivência.

Diante destas realidades, a Mitra Diocesana, sensível as dificuldades  enfrentadas pelas Paróquias, determina as seguintes medidas administrativas e econômicas a serem adotadas:

 

ADIAMENTO DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES

As Paróquias poderão ADIAR, pelo prazo de 02 (dois) meses, o pagamento das seguintes contribuições:

  1. CONTRIBUIÇÃO PARA A MITRA DIOCESANA

  2. FUNDO DE EVANGELIZAÇÃO

  3. CONTRIBUIÇÕES PARA OS SEMINÁRIOS

  4. MATERIAL PARA A QUARESMA E MATERIAL PARA A FAMÍLIA

As Paróquias deverão RESSARCIR a Mitra Diocesana do pagamento dessas contribuições ao final do prazo estipulado (02 meses) uma vez que estes valores são importantes para a manutenção da pessoa jurídica eclesiástica.

As Paróquias poderão NEGOCIAR a forma de ressarcimento dos valores das contribuições adiadas, ou seja, efetuar o pagamento a vista ou pedir o seu parcelamento.

 

CONTRIBUIÇOES OBRIGATÓRIAS

Infelizmente, existem responsabilidades das Paróquias que a Mitra Diocesana não dispõe de recursos suficientes para bancar a sua quitação.

Dessa forma, as seguintes Contribuições são de caráter obrigatório e continuarão a ser cobradas das Paróquias. São elas:

  1. FGTS

  2. INSS

  3. IMPOSTO DE RENDA

  4. PIS

  5. UNIMED

  6. MEDICINA OCUPACIONAL

  7. MAISTRE

  8. SERVIÇOS TERCEIROS

  9. JURÍDICA

Esperamos, com esta medida, reduzir em até 50% da folha de pagamento das Paróquias contribuindo, assim, para que as comunidades católicas possam superar este momento difícil pelo qual todos estamos passando.

As medidas apresentadas poderão serão prorrogadas, caso haja necessidade.

Confio à proteção maternal de Maria, Mãe do Redentor, nossa padroeira, rogando a Deus a sua misericórdia sobre todo o Povo de Deus e a sua Igreja.

Cúria Diocesana, ao dia 24  do mês março de 2020.

 

Seguem assinaturas do

Bispo Diocesano

Vigário Diocesano

Chanceler Diocesano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Artigos relacionados