31 de maio de 2020
Portal da Diocese de Cachoeira do Sul Rs

NOVAS TENTAÇÕES

Jesus foi tentado no deserto. O demônio propôs o esbanjamento, a temeridade contra a vida e o poder pelas riquezas. Estas tentações se atualizaram pela competência do tentador e pela incompetência dos tentados. Também hoje, como nos tempos de Jesus, existe a fome originária do desperdício, existem mil possibilidades de arriscar a vida e  existe o convite para o enriquecimento a qualquer custo, mormente através da exploração dos recursos naturais não recuperáveis e da poluição desenfreada do planeta.

É do conhecimento público o desperdício de alimentos e outros bens prodigalizados pela mãe terra. A reciclagem destes bens e a partilha dos alimentos estão longe do ideal capaz de estabelecer uma economia na área da subsistência e um reaproveitamento do que é descartável. Ou come-se demais ou joga-se no lixo as sobras das mesas dos ricos, enquanto milhares de miseráveis não têm o suficiente para viver com dignidade.

A temeridade contra a vida tem proporções alarmantes. O demônio hodierno propõe  maior aceleração nos carros e para que a morte seja freqüente sugere grandes doses de álcool e faz crer que só os outros se acidentam.

A poluição do solo é alarmante. O lixo entope as sarjetas, contamina as águas, envenena a terra e faz desta “anticivilização” o terror do futuro. O lucro a todo custo, a aceleração consumista, os descartáveis não recicláveis, estão levando o planeta azul à perda do equilíbrio. O solo, as águas e o ar perderam qualidade e clamam por socorro urgente!

Como cristão tu és responsável pela recuperação do mundo e pela reeducação ecológica do homem. Dou-te uma razão radical: Nosso Deus é o Deus da Vida; quem qualifica a vida torna-se parceiro dele; quem minimiza, faz parceria com o mesmo demônio que tentou Jesus no deserto.

Artigos relacionados