18.6 C
Cachoeira do Sul
4 de abril de 2020
Portal da Diocese de Cachoeira do Sul Rs

Falar de amor

FALAR DE AMOR

Mons Elcy

Me perguntaram o que era o amor! Respondi que não sabia o que era, mas sabia quem era o amor! Era a pessoa amada, àquela a quem podia chamar de amor! Amor por excelência é Deus e amor finito é a pessoa a qual amamos. Até a linguagem popular diz isso: Ele é meu amor, se referindo ao marido; ela é meu amor, se referindo à esposa; eles são meus amores, se referindo aos filhos. Então dá para entender?

Leia o que Deus nos informou por São João evangelista em sua primeira carta:

(1Jo 4,16) “Nós temos reconhecido o amor de Deus por nós, e nele cremos porque Deus é amor.”

(1Jo 4,7) “Amados, amemos uns aos outros porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus porque Deus é amor!”

Então Deus nos programou para, experimentando o amor humano, conhecer o amor divino e a essência da divindade. Como Deus não se explica, mas se experimenta, também pela experiência amorosa se conclui sobre a veracidade que o amor revela. Não é, apenas, um sentimento, mas uma experiência unificadora dos seres, um mergulho na identidade da pessoa amada, seja de Deus, seja do próximo!

Quanto maior for nosso amor ao próximo, mais nos inserimos na intimidade de Deus. Ele, o amor, é a grande ponte que nos faz passar sobre o abismo existente entre a divindade e a nossa humanidade, entre o infinito e o finito.

O amor se propaga como um fluxo que emana de quem é amor, penetrando no ser amado e gerando uma unidade existencial. Este fluxo que vem, se funde no fluxo que vai, fazendo acontecer a felicidade, por todos, sonhada!

Artigos relacionados