8.8 C
Cachoeira do Sul
27 de maio de 2020
Portal da Diocese de Cachoeira do Sul Rs

NOVO DECRETO DE DOM EDSON PARA TODA DIOCESE – clique e leia 19.03.2020

 

17.03.2020

DOM EDSON BATISTA DE MELLO

POR MERCÊ DE DEUS E DA SANTA SÊ APOSTÓLICA

BISPO DE CACHOEIRA DO SUL

 

ORIENTAÇÕES PASTORAIS PARA SACERDOTES, DIÁCONOS, MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS,  MINISTROS DA PALAVRA  E MINISTROS DA ESPERANÇA

Rev. irmãos e irmãs em Cristo,

Tendo em vista a ameaça que o vírus COVID-19 (Coronavírus) impõe a nossa sociedade e da gravidade de sua ação na saúde da pessoa infectada é de suma importância que medidas preventivas sejam tomadas para evitar, ao máximo, a sua disseminação.

Entretanto, como servidores de Cristo, não podemos deixar de atender aos fiéis que, neste momento de angustia, dúvida e incerteza, recorrem à Igreja em busca de conforto espiritual, proteção e acolhida.

Dessa forma, tem-se presente que toda a Igreja está unida em oração rogando a Deus pela sua misericórdia para que livre nossa Diocese e nosso país desse imenso perigo, por intercessão de Maria, Mãe do Redentor.

  1. DOS DIÁCONOS E DOS MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA COMUNHÃO E MINISTROS DA ESPERANÇA

Conforme orientação das autoridades competentes da área da saúde, o vírus COVID-19 ataca principalmente idosos e pessoas que possuam problemas de saúde (hipertensão, diabetes, etc…).

Fica suspensa a comunhão aos idosos e enfermos, levada pelos Ministros Extraordinários, a não ser em caso de viático.

Os Diáconos e Ministros Extraordinários, que estejam nos grupos de risco (acima dos 60 anos, enfermos, gestantes e portadores de doenças crônicas), ficam dispensados do exercício do seu ministério, enquanto perdurar esta crise.

Os Diáconos e Ministros idosos ou que possuam algum problema de saúde que, porventura, queiram continuar com seus trabalhos deverão  ter plena ciência do risco que correm e, OBRIGATORIAMENTE, se utilizar dos instrumentos de prevenção e indicados pelas autoridade da saúde.

  1. DAS DETERMINAÇÕES DAS AUTORIDADES DE SAÚDE E AUTORIDADES JUDICIAIS

Deverão as Paróquias e Capelas de nossa Diocese acatarem as determinações das autoridades em saúde e, se for o caso, também das autoridades judiciais.

Existem Comarcas em que o Ministério Público Estadual ingressou com Ação Civil Pública requerendo a suspensão de quaisquer atividades religiosas em suas jurisdições (missas, cultos, etc…).

Dessa forma, neste momento, a Igreja acolhe as determinações tanto das autoridades em saúde como das autoridades judiciais, a exemplo do Santuário Nacional de Aparecida que suspendeu as Santas Missas em razão de ordem judicial.

Portanto, as Paróquias e Capelas deverão ser obedientes às autoridades civis em suas determinações.

  1. PREVENÇÃO

Diáconos e Ministros deverão seguir medidas preventivas para evitar A SUA PRÓPRIA CONTAMINAÇÃO e a DISSEMINAÇÃO do COVID-19.

Para tanto, as autoridades de saúde recomendam a proibição do contato físico entre as pessoas e seja realizada a devida higienização com a lavagem das mãos com água e sabão ou o uso do Álcool Gel, grau 70.

Cada Sacerdote, Diácono e Ministro adote para si um “kit” contendo: álcool gel, máscara, luvas descartáveis e lenços de papel para as visitas domiciliares ou atendimento aos fiéis.

Isto não significa que o “kit” venha a ser usado em todas as celebrações eucarísticas ou atendimentos, mas os Servos de Deus deverão estar preparados para as diversas situações que porventura surjam decorrentes do trabalho pastoral.

Diáconos e Ministros deverão realizar as Celebrações, preferencialmente, em lugares espaçosos e arejados, evitando a aglomeração de pessoas.

Sendo a Celebração realizada na residência do fiel, procurar deixar portas e janelas abertas e manter uma distância de 1,20m das pessoas presentes (se possível).

Procurar dar ânimo e esperança ao fiel e a sua família, estimulando-os a oração do terço em prol dos doentes, das equipes de saúde e pela proteção de nossa Diocese.

Após as Celebrações, os aparatos litúrgicos deverão ser devidamente purificados e higienizados, não esquecendo que a TÚNICA E A ESTOLA (Sacerdotes e Diáconos) e a OPA (Ministros) deverá ser, também, devidamente  lavada e higienizada.

Sabemos que os Servos de Deus fazem a devida purificação e higienização dos aparatos litúrgicos, mas as vezes esquecem que as vestimentas também podem ser meios de propagação e disseminação do COVID-19.

Com estas simples medidas podemos prevenir a disseminação do COVID-19 e evitar a autoinfecção.

  1. DA CONTAMINAÇÃO

Sabemos que os Servos de Deus não podem eximir-se do atendimento aos fiéis independentes da situação em que estes se encontrem.

Dessa forma, o Povo de Deus, angustiado e abatido irá procurar o conforto e a acolhida da Igreja para encontrar o consolo necessário ao momento em que se esta vivendo.

Contudo, os Servos de Deus também são humanos e, nesta condição, necessitam de cuidado.

Por isso, durante o trabalho pastoral, os Sacerdotes, Diáconos e Ministros deverão se munir e prevenir dos instrumentos indicados pelas autoridades de saúde que são: máscara, álcool gel, lenços de papel e não entrar em contato físico com o fiel, salvo real necessidade.

Contudo, caso o Servo de Deus encontre, alguma pessoa INFECTADA PELO COVID-19, deverá de imediato REQUERER à Secretaria de Saúde do seu município a devida proteção para prestar o atendimento ao infectado.

Nestes casos, quando o fiel possui a confirmação da infecção, são necessários trajes e equipamentos especiais de proteção.

Assim, quando o fiel infectado pelo COVID-19 ou sua família chamarem o Sacerdote, Diácono ou Ministro para atendimento espiritual, deverá ser verificado o protocolo de saúde orientado pelas autoridades aplicável ao caso.

Da mesma forma, os Ministros da Esperança devem ter cuidado ao realizar a cerimônia de encomendação uma vez que se a morte se deu em razão da infecção pelo vírus COVID-19 ou se existirem outros membros da família infectados deverão ser tomadas as medidas indicadas pelas autoridades de saúde.

Recomenda-se que em caso de velórios, o público se dilua em diferentes horários, evitando aglomeração de pessoas, restringindo o momento da despedida aos familiares mais próximos.

Caso não haja nenhuma orientação, o Ministro da Esperança deverá proceder conforme as determinações contidas neste documento (uso do kit), se for o caso.

As autoridades de saúde informam que o tempo de vida do vírus é de até 09 (nove) dias e é altamente contagioso.

Por isso, devemos ter cuidado redobrado e zelar pela nossa vida e pela vida do irmão.

Vamos incentivar momentos de oração e preces a Deus nas famílias para que nos livre deste e de muitos males. A preocupação maior é com idosos e enfermos. Cuidemos especialmente dessas pessoas, mais vulneráveis à doença.

Confio a todos à proteção maternal de Maria, Mãe do Redentor, nossa padroeira, e a São Sebastião, protetor contra as pestes.

Cúria Diocesana, ao dia 17  do mês março de 2020.

 

 

Mons. Elcy Arboitte

Vigário Diocesano

Dom Edson Batista de Mello

Bispo Diocesano de Cachoeira do Sul

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Artigos relacionados