28.8 C
Cachoeira do Sul
23 de janeiro de 2020
Portal da Diocese de Cachoeira do Sul Rs

Banalizando a Vida

Mons. Elcy

O dom mais precioso que recebemos do Criador é a vida, hoje banalizada, desvalorizada ao nível de um celular, algum dinheiro ou droga.

A vida é a luz de Deus nas suas criaturas, luz que só Ele que é Senhor acende e apaga, conforme seus planos misericordiosos. Quem tira a vida sua ou dos semelhantes usurpa um direito divino, dos maiores direitos e forja uma culpa exacerbada!

Quando as estatísticas da mortandade nos assustam, nos minimizam. O menosprezo dos ladrões e assassinos mostra a arrogância deles na usurpação do direito divino de viver.

A mortandade é tanta que se assemelha à uma guerra de extermínio ou a um genocídio. Os noticiários, dos meios de comunicação, se fazem em narrativas sensacionalistas do sangue derramado em nome da droga, do dinheiro, dos celulares ou de qualquer objeto de barganha. As pessoas vão assimilando, perdendo a sensibilidade, embotando as consciências, entorpecendo os melhores sentimentos da alma; lhes parece normal o morticínio!

Se nos escandalizamos com a destruição da vida, numa guerra fratricida, por que não nos escandalizamos desta guerra diária ao nosso derredor, cujo número de extermínio ultrapassa as guerras entre nações? Também nossa sensibilidade e nossa delicadeza de espírito estão sendo assassinadas nesta guerra de cada dia!

O Deus da vida que a quer mais e abundante, vendo seus filhos nesta ação fratricida, nos convoca à reflexão e à conversão. O projeto a ser seguido para reversão comportamental, o rumo certo sonhado por Deus, é encontrado nos ensinamentos de Jesus, nas normas das Bem-Aventuranças e no amor, do jeito que Ele bendizia, do jeito que Ele amava.

Artigos relacionados