16.2 C
Cachoeira do Sul
6 de agosto de 2020
Portal da Diocese de Cachoeira do Sul Rs

A HISTORIA SE REPETE

A HISTÓRIA SE REPETE

Mons. Elcy
         No livro do Eclesiástico, no capítulo terceiro, encontramos normas relacionais rigorosas dos filhos para com seus pais idosos. Uma questão de bênção ou maldição. De vida longa para quem ama os pais, de perdão, de alegria por ver repetido, depois na velhice, os carinhos de seus próprios filhos.
         Um velho pai, avançado em idade, já sem forças para executar trabalho, depois uma longa vida criando e qualificando a vida em família, está sentado à sombra olhando o horizonte, imaginando nele ver o passado já tão distante.
         Criara um filho que se tornou egoísta e calculista. Na ingratidão filial achou que o pai era um estorvo, dava despesa com seus remédios, não produzia lucratividade e, portanto deveria ser eliminado. Mandou fazer um caixão de madeira, pediu ao velho para deitar dentro dele. O velho pai, resignado deitou dentro do caixão que foi arrastado para a beira de um grande abismo. Lá chegado, delicadamente o velho bateu na tampa do caixão. O filho abriu e ouviu o último desejo de seu pai: “Sei o que queres fazer! Só te peço uma coisa: jogue-me deste abismo para morte, mas não atire fora, não desperdice este magnífico caixão, guarda-o porquê teus filhos poderão precisar dele um dia”.
         A história se repete. O que fizer aos seus pais, seus filhos farão consigo. Peço que você leia, na Bíblia, os conselhos existentes no livro do Eclesiástico. É de um rigor sem medidas, mas também de garantias futuras. Pagará na própria carne os males ou receberá, pelo amor e dedicação aos genitores, toda forma de prosperidade e vida longa, de perdão e de alegrias.
         É bom se antenar para não se arrepender tardiamente!

Artigos relacionados