Páscoa 2018

 

PÁSCOA

Mons. Elcy

 

            Passagens, todos vivenciamos, algumas sem maior importância, outras vitais. Umas vêm ao natural, outras nós as construímos.

A primeira, foi do nada para a vida. Sem mérito nosso, foi puro ato de amor do Criador: nos chamou à existência. A Segunda foi de nossa mãe para o mundo: choramos muito, porque fizemos a primeira experiência de morte e ressurreição: morremos para a vida uterina e ressurgimos, numa espécie de páscoa, para o mundo: sem sabermos, estávamos experimentando uma primeira libertação…

Outras mortes e ressurreições aconteceram: da infância para adolescência, desta para juventude, depois para madureza, então para velhice e, um dia da vida material para a ressurreição: sempre uma libertação e uma páscoa! Existem outras: do pecado para a graça, da tristeza para a alegria, da doença para saúde, da ignorância para o saber…

         Se tantas são nossas experiências de ressurreições, precedidas de tantas mortes, porque duvidar  da maior, da qual as outras são, apenas, exercícios preparatórios?

         Para que tivéssemos certeza do que nos espera e, esta certeza gerasse em nós alegria e paz, Jesus veio, assumiu nossa natureza humana para ser o primeiro e pediu que o seguíssemos: Ele foi o primeiro e é o caminho da verdadeira páscoa, passagem, para o Pai. ” Ninguém vai ao Pai senão por mim!” “Eu, diz Ele, preparei-vos um lugar, para que onde eu estiver, estejais comigo!”

         A paz anunciada pelo Senhor após a sua ressurreição é dom para aqueles que, crendo Nele, Dele esperam a Redenção e a Ressurreição; esperando, confiam e, confiando vivem sua esperança: virtude dos que amam, na certeza da promessa de quem não engana e nem pode enganar!