Free WordPress Themes
Cachoeira do Sul ,Sexta-Feira 15 de Dezembro de 2017

A VOLTA PARA CASA

A VOLTA PARA CASA

 

Não só ansiamos voltar para casa, quando distantes num país diferente, mas mesmo num hospital ou num tempo longo de ausência. A visão do retorno, a liturgia da volta, o cerimonial da arrumação, a expectativa do encontro relacional das pessoas amadas, até do ambiente familiar deixado e distante ativam a produção de endorfina num calorzinho gostoso forjando imagens e acionando prazer.

Eu imagino o retorno do filho que desertou de casa, desertou dos braços do Pai Misericordioso. O que teria passado na cabeça dele em imagens familiares e no coração dele em sentimentos e afetos machucados? Sabia que tinha uma Pai acolhedor, senão, de vergonha não teria retornado. Doía-lhe ter magoado a quem o amava, buscou o perdão na certeza da remissão e colocou-se a caminho para ver a casa da sua infância e os braços abertos do seu genitor. (Lc 15, 11ss)

Muitas são as voltas; das mais simples e fáceis às mais difíceis e complexas. Umas construídas de simples atos de vontade e outras confeccionadas de muitos planejamentos, ensaiadas de muitas formas e decididas com ansiedade e até com medo! Eu sei que a Parábola do “Filho Pródigo” nos revela muitas nuances comportamentais, nuances descritas pelo Mestre de Nazaré, que em nada diferem das que sofremos nós, nas decisões de nossos retornos à Casa que abandonamos por necessidade ou negligência.

Eu tive a experiência, num leito de Hospital, por mais de uma vez, em sonhos e em imaginações, me vendo entrando porta a dentro tanto da casa paterna de outrora, quanto da casa de agora. Cada pessoa que se achegava, do leito onde repousava, acordava os encontros imaginados com todas as outras, que eu sabia estarem me esperando na distância.

Eu sei, e esta é minha lição de vida, que este mundo se assemelha a um hospital, ou a um local como a pocilga do Filho Pródigo, e que tanto um como o outro são provisórios. Um dia os deixarei para trás e me jogarei nos braços do Pai. Ele me aguarda de mãos estendidas para me envolver no seu amor definitivo, na vida definitiva.