É PRECISO CRER OU SE DANAR!

                                                       É PRECISO CRER OU SE DANAR!

 

Mons. Elcy

O mês de outubro e novembro, aos olhos dos insensatos, pareceram inúteis, mas para mim, não! Foram preciosos! Explico: somei mais de vinte dias hospitalizado. Pareceram inúteis para quem tem a chama da fé apagada ou quase. Para quem crê na Providência divina, tudo tem seu sentido é tudo foi conduzido pela Pai que vela cada passo que dou e cuida até os fios de cabelo que ainda tenho na cabeça. Isso eu não inventei; foi Jesus quem disse com todas letras.

Tempo perdido? Não para mim! Nunca pensei tanto no valor da vida, na saúde, nas realizações e também nos meus pecados, mas acima de tudo dialoguei com Deus como filhinho ao lado do papai, como falava Jesus. E, depois que descobri que meu nome significa DEUS MÃE (EL= Deus e CY= Mãe), o Espírito Santo foi, por mim, considerado “tocaio” ou ”xará” e Jesus passou a ser meu Jovem irmão. Conclusão: me facilitei no diálogo com a Trindade: Papai (Abbá), Mamãe (Elcy) e meu Jovem Irmão chamado Jesus.

Deus me oportunizou tempo para reflexão, meditação e diálogo com Ele em Trindade.

Certa vez o Mestre de Nazaré dissera que os homens são capazes de discernir os sinais dos tempos, quanto aos ventos ou a chuva que se aproxima e não sabem interpretar os acontecimentos de suas vidas.

Este texto está sendo escrito aqui do hospital, na esperança que amanhã vou rever minha querência e os amigos que não puderam me visitar; até a “Preta Velha”, a cadela da Igreja São José, quero rever!

Entendi mais: Por que Jesus insistia que rezássemos muito. Não para convencer Deus Pai, do que necessitamos, mas para Dele, sempre mais, nos aproximar e chamá-lo de Papai (ABBÁ).

Bem, por hoje paramos por aqui, pois o que foi dito já dá no que pensar!