PROFECIA na COMUNICAÇÃO

PROFECIA na COMUNICAÇÃO

Mons. Elcy

Não é um sonho meu, mas uma constatação comportamental das comunicações humanas: Os grandes meios de comunicação, as informações de massa, as televisões, hoje poderosas, as rádios, hoje com audiência global, têm seus dias contados e cederão lugar à comunicação “personal”. Esta se formaliza de pessoa para pessoa, de pessoa para grupo, enfim um link escolhido entre milhões de opções de interesses momentâneos e pouco permanentes. Os objetivos se multiplicarão de uma escolha para outra, de um assunto para outro, num dedilhar sobre um teclado virtual, ansiado e sôfrego! Além de particularizada, essa comunicação será pouco permanente e menos comprometida, mas se configurará alienada e momentânea.

Os motores que moverão a busca das conexões serão interesses pessoais, consumistas, hedonistas, poli afetivos e outros menos saudáveis.

Já, agora, os celulares, recheados de recursos técnicos, alienam da realidade circundante, desconfiguram os laços familiares, afastam os que, embora perto, se distanciam causando morbidez.

Não sou profeta, mas prevejo que um dia, mais rápido que se pode imaginar, a Televisão do jeito que é, vai minguar. Os grandes canais irão falir. Os micros sensores invadirão a privacidade e, ao mesmo tempo, gerarão a falácia da liberdade comunicativa.

Será coisa do futuro ou este processo já começou?

Já vi dezenas de pessoas, diante de uma grande tela, que mostrava uma partida internacional de futebol, dedilhando, de cabeças baixas, os teclados de seus celulares! Então já começou! É bom se escudar para não ser pego de calças na mão, ou ser usado como lenha na fogueira da deteriorização do comportamento relacional humano!