Cachoeira do Sul ,Tera-Feira 16 de janeiro de 2018

Monsenhor Elcy Arboitte escolhido administrador da Diocese até designação de novo Bispo

O monsenhor Elcy Arboitte foi escolhido na manhã desta quinta-feira,por unanimidade administrador da Diocese de Cachoeira do Sul, até que ocorra a indicação do novo bispo. A escolha aconteceu durante a reunião do Conselho  formado por seis padres. A decisão aconteceu devido ao falecimento do bispo Dom Remídio Bohn, no último sábado.

Mons Elcy Arboitte ,que já é o vigário geral da diocese,irá ficar na administração por um período que vai de 8 a 12 meses.Afirmou  o monsenhor, que vai dar continuidade aos trabalhos realizados na diocese por Dom Remidio, ate que  o Santo Padre , designe novo bispo.

O CONSELHO

Do Conselho que elegeu o administrador participaram o vigário geral da Diocese, mosenhor Elcy Arboitte, e os padres Marchos Eichner (Arroio do Tigre), João Flesch (Cachoeira do Sul), Rudinei Lasch (Caçapava do Sul), Gelson Bernady (Sobradinho) e Hélvio Cândido (Cachoeira do Sul).

Carta do Papa Francisco


 Reverendíssimo ,Mons Elcy Arboitte

Vigário Geral de Cachoeira do Sul

Cumpro o dever de transmissão ao senhor, o seguinte telegrama:

“Informado, o  falecimento de Dom Remidio José Bohn,o Santo Padre me confia, fazer condolências ,a quantos choram tao dolorosa perda,unindo-se, a  Diocese de Cachoeira do Sul na encomendação, de  misericórdia divina do seu amado pastor para que, entre na paz e alegria eterna do seu Senhor a quem intensa e generosamente serviu. Fazendo apelo fé no mistério Pascal de Cristo que ilumine e encha de esperança estes momentos de tristeza e orfandade.O Papa Francisco, envia a seus familiares e toda comunidade diocesana, como penhor de sincera participação no sofrimento comum, confortadora Benção Apostólica.”

Cardeal Pietro Parolin

Secretário de estado do Vaticano, em  9 de janeiro de 2018.

Unindo-me aos votos de condolências, asseguro  minhas oracões.

                                                                                     Mons. Marcel Smejkal    

  A.I.  – Vaticano

 

Mensagen Original

Nota da CNBB pelo falecimento de Dom Remídio Bohn

“A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recebeu com pesar a notícia do falecimento de dom Remídio Bohn, bispo de Cachoeira do Sul (RS), ocorrido na tarde deste sábado, 06 de janeiro. Manifestamos a nossa solidariedade fraterna aos familiares e às comunidades da diocese com os nossos cumprimentos nesta hora em que todos celebram a Páscoa desse nosso Irmão que depois de servir, como bispo auxiliar, a arquidiocese de Porto Alegre, desde 2012 esteve no governo da diocese de Cachoeira do Sul.

Recorremos às palavras de São João Paulo II, para manifestarmos nossa proximidade com os familiares e com toda a Diocese de Cachoeira do Sul. Na Encíclica Evangelium vitae, ele afirma: “Até a morte, aliás, não é de forma alguma aventura sem esperança: é a porta da existência que se abre de par em par à eternidade e, para aqueles que a vivem em Cristo, é experiência de participação no mistério da sua morte e ressurreição”.

Na despedida desse nosso Irmão, vamos recordar a beleza do seu lema episcopal: “Omnes Fratres Sumus” (“Todos somos irmãos”). Essa certeza, expressada nesse lema, é também o fundamento de nossa esperança maior, nesse momento de dor: somos todos irmãos e temos o mesmo destino que é caminhar, nesta terra, para um dia participarmos, juntos, da convivência eterna com o Pai.

Enviamos o nosso abraço a todos e as nossas orações.Em Cristo,”

Dom Leonardo Ulrich Steiner

Bispo auxiliar de Brasília

Secretário-Geral da CNBB

Dom Remídio, é sepultado na Catedral após celebração das exéquias

Sepultado neste domingo na Catedral Nossa Senhora da Conceição o bispo Dom Remídio José Bohn, 68 anos, que faleceu sabado. Emoção, reconhecimento e gratidão foram expressões utilizadas nas manifestações do clero,  na homenagem a Dom Remídio, que foi sepultado após a missa em uma cripta construída na Catedral.Com a presença de todo o clero da diocese, e dos arcebispos de Porto Alegre, Dom Frei Jaime Spengler e de Santa Maria, Dom Hélio Adelar Rubert e ,tambem os bispos do município de Borba, no Amazonas, Elói Roger; de Sinope, no Mato Grosso, Canísio Klaus; de Porto Alegre, Leomar Brustolin; de Cruz Alta, Adelar Baruffi; de Passo Fundo, Rodolfo Luís Weber; de Bagé, Gílio Felício; de Santo Ângelo, Liro Vandelino Meurer; de Uruguaiana, José Mário Angonesi e de Santa Cruz do Sul, Aloísio Roberto Dilli.

A irma, Jacinta Bach, da cidade de Feliz, onde Dom Remídio foi velado, veio a Cachoeira do Sul com sete irmãos e sobrinhos. comentou, que o irmão era uma referência para a família.

Dom Irineu Wilges, bispo emérito de Cachoeira do Sul, a quem Dom Remídio foi sucessor, afirmou que “um companheiro, um amigo, um exemplo seguiu outro caminho, mas deixou um legado de amizade, de incentivo e de amor às ações sociais”.

A celebração das exéquias , iniciou às 18h30min, na Catedral, pelo arcebispo de Santa Maria, Dom Hélio Adelar Rubert. Todos lembraram a dedicação do bispo e até contaram fatos como o de que ele gostava de jogar tênis e sempre tinha uma palavra de incentivo a todos.

Nota da CNBB Sul 3

Com pesar comunicamos que dom Remídio José Bohn, bispo da Diocese de Cachoeira do Sul, e que foi bispo referencial do vicariato de Guaíba entre os anos de 2009 a 2012, faleceu neste sábado (6) após enfrentar um tumor no pâncreas e passar por tratamento, onde ficou internado no Hospital São Francisco, do Complexo Santa Casa de Misericórdia, em Porto Alegre. O óbito ocorreu no fim da tarde, no Lar Sacerdotal de Gravataí.

O clero, os consagrados e o laicato são convidados a participar, neste domingo, 7 de janeiro, das celebrações de sufrágio e gratidão a este bom pastor que agora repousará nos braços do Pastor Eterno”.

“Que o Senhor o acolha entre seus eleitos, pois cremos na ressurreição!

Diocese chora: Morre Dom Remidio

O bispo Dom Remídio Bohn, da Diocese de Cachoeira do Sul, faleceu neste sábado (6) após enfrentar um tumor no pâncreas e passar por tratamento onde ficou internado no Hospital São Francisco, do Complexo Santa Casa de Misericórdia, em Porto Alegre. O óbito ocorreu no fim da tarde.

Quero agradecer a Deus por essas preocupações e contar sempre com as orações de vocês”,

 Declarou Dom Remidio em suas ultimas mensagems.

O Monsenhor Elcy Arboitte, vigário geral,ressaltou a importância de Dom Remídio para a evangelização e disseminação da fé entre os cristãos cachoeirenses e dos demais municípios abrangidos pela Diocese de Cachoeira do Sul.

“É uma perda inestimável. Lamentamos profundamente a perda de Dom Remídio”, declarou o Monsenhor .

Dom Remidio, mantinha uma coluna no site da diocese , A VOZ DO PASTOR, leiam sua ultima postagem

Os atos fúnebres de Dom Remídio vão ser realizados a partir da manhã deste domingo (7) na cidade de Feliz, terra natal dele, com missa às 11h. Antes, em Porto Alegre, uma missa está marcada para as 7 horas.

A chegada do corpo a Cachoeira do Sul está prevista para as 17 horas, deste domingo. Uma missa de corpo presente vai ser celebrada às 18 horas 30 minutos, na Catedral Nossa Senhora da Conceição. Após, o corpo serár sepultado em uma cripta, na Catedral.

Imagem  de Dom Remidio  , no retiro dos presbiteros da diocese, recentemente.

 

Dom Remidio  tinha a frente uma  diocese de 10.736,5 km2  com uma população residente de 204.753 hab e uma densidade demográfica: 19,1 hab/km ,que  reunia : Arroio do Tigre, Ibarama  , Segredo ,Sobradinho,  Lagoa Bonita do Sul,Passa Sete,Agudo,Novo Cabrais (Cortado) ,Cerro Branco,Cachoeira do Sul ,Caçapava do Sul  e Santana da Boa Vista

A Vida Religiosa de Dom Remidio

Nasceu no município de Feliz no dia 21 de maio de 1950,e   fez seus estudos primários na escola paroquial no distrito de São Roque, em Feliz; o curso ginasial e colegial no Seminário São José, em Gravataí. Cursou filosofia no Seminário Maior Nossa Senhora da Conceição em Viamão e os estudos de teologia, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Foi ordenado sacerdote em Feliz, no dia 29 de novembro de 1975..

De 1976 a 1977, foi assistente dos seminaristas no Seminário São João Maria Vianney, em Bom Princípio; de 1978 a 1980, foi professor no Seminário Menor São José, em Gravataí; em 1980 e 1981 foi Pároco na paróquia São Pedro de Poço das Antas; de 1982 a 1986, assistente dos seminaristas e depois reitor no Seminário Menor São João Maria Vianney, em Bom Princípio; de 1986 a 1992, diretor espiritual e assistente dos seminaristas no Seminário Maior de Viamão; de 1987 a 1988; pároco da Paróquia Santo Antônio, em Canoas; de 1993 a 1995; pároco da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Porto Alegre; de 1996 a 2006, pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário em Porto Alegre. Foi coordenador de pastoral do Vicariato de Porto Alegre, de 2002 a 2004; atuou também como Penitenciário da Arquidiocese, assistente espiritual dos Diáconos Permanentes, diretor da Sociedade Fraterno Auxílio e representante dos presbíteros. Em 1988, participou em Medellín, na Colômbia, do curso de especialização em Teologia Pastoral no ITEPAL, organizado pelo CELAM

Foi nomeado Bispo Auxiliar de Porto Alegre, aos 18 de janeiro de 2006, pelo Papa Bento XVI, com o título de “UCHI MAIUS” (Cidade de origem numida, 120 km da Tunísia). Foi ordenado bispo na Catedral Metropolitana de Porto Alegre, aos 17 de março de 2006. Desde 18 de janeiro de 2006, atuou como vigário episcopal do Vicariato de Porto Alegre, até 2010.
No dia 20 de abril de 2011 foi empossado por Dom Dadeus Grings como vigário episcopal do Vicariato de Guaíba, na sede do vicariato, a Paróquia Nossa Senhora do Livramento. Uma das missões de Dom Remídio foi preparar aquela porção da Arquidiocese de Porto Alegre para no futuro ser uma nova diocese.
Durante a 49ª Assembleia dos Bispos do Brasil em Aparecida do Norte, no dia 10 de maio de 2011, foi eleito secretário do Regional Sul-3 da CNBB.

No dia 28 de dezembro de 2011 o Papa Bento XVI o nomeou bispo da Diocese de Cachoeira do Sul.
No dia 26 de fevereiro de 2012 toma posse, na Catedral Diocesana, em Cerimônia presidida pelo Arcebispo Dom Hélio Adelar Rubert.      dom_remidio_pagina2  Lema: “OMNES FRATRES SUMUS” (“Todos somos irmãos”).

Brasão:
1) A Cruz: O formato da cruz (flor de lis) expressa à nobreza de quem se doa para servir e a cor (vinho), o sangue doado por amor. É nossa identidade cristã.

2) O Escudo: no contorno de sua forma, se assemelha ao escudo da família, cuja história é marcada pela fé, alegria e trabalho. O fundo, em cor azul celestial, expressa a harmonia do universo e o infinito sem limites da missão.

3) A luz: reflete a bondade de Deus sobre nós, pois somos filhos da luz. Indica também m_BrasaoDomRemidioa missão confiada. A temática da luz teve presente no lema de vida sacerdotal de Dom Remídio: “ser luz para iluminar”.

4) Os círculos: Entrelaçados representam Deus uno e trino, modelo perfeito de comunhão no amor, que nos inspira a viver esta comunhão em sua família, “onde todos somos irmãos”.

5) As chamas: sinal de luz e fogo, expressam a ação de Deus que purifica, renova e anima a comunhão.

6) O livro aberto: A Palavra de Deus alimenta a comunidade de fé. Ela se tornou viva pelo sim da Virgem Maria, representada pela letra M sobre o livro, a Mãe de Deus, padroeira da cidade de Porto Alegre e da Arquidiocese de Porto Alegre. Ainda sobre o livro está o báculo, símbolo do pastoreio, a exemplo de Cristo, Bom Pastor, tem a missão de ensinar, santificar e guiar o Povo de Deus.

Oremos por Dom Remidio

diocesenet